sábado, 13 de novembro de 2010

FAVELAS DA VIDA

Becos estreitos. imgrimes
Paredes sujas, escoridas com sucos negros.
Aquele cheiro acre, insalubre.
Crianças brincam, como a estar numa praça.
Em algumas janelas, pessoas com olhares perdidos.
Como se mostrasse a ausêcia da esperança.
Pareço ter sido transportado a outro planeta.
Negava-me á acreditar, que tão perto houvesse ambiente tão torpe.
Derepente um estampido, trazendo-me a realidade.
As janelas se fecham, as crianças desaparecem com por passe de magica.
Eu estático, sem ação, alguem me puxa para o interior de uma casa.
E sinto-me mal por ficar surpreso, com a solidariedade e e respeito, humano.
Daquelas pessoas
Ady Alves

Nenhum comentário:

Postar um comentário